Clean Label: Um conceito que veio para ficar

Atualizado: 23 de mar.




O conceito Clean Label surgiu com o aumento da conscientização das pessoas sobre os alimentos que ingerem, consequentemente, maior se tornaram suas exigências por produtos mais saudáveis. Observa-se que a saudabilidade exigida está normalmente associada à falta de aditivos químicos, conservantes, açúcares adicionados, alto teor de gorduras saturadas, entre outros.

Equivocadamente, o conceito de Clean Label com frequência é voltado apenas para a lista de ingredientes, porém, sabemos que o rótulo vai muito além disto e de sua informação nutricional, ele engloba toda a informação contida em um rótulo, portanto, qual seria o sentido alegar “Clean Label” (rótulo limpo) em um produto carregado de informações, alegações, selos que, muitas vezes não estão condizentes com as regulações vigentes?


Desta forma o que podemos concluir?


O que se pode concluir é uma falsa intitulação de produtos como aqueles que são “ruins” (com mais ingredientes e com nomes estranhos) e os bons (com poucos ingredientes e sem nomes estranhos), o que não é verdade. Hoje, se tem muitos produtos bons, mesmo a lista de ingredientes apresentando determinados nomes de uso não coloquial. Todavia, isso não significa que trarão riscos à saúde, muito pelo contrário, alguns fornecerão segurança e proporcionarão melhor qualidade do produto. Afinal, todos querem um produto sem açúcar, mas ninguém está disposto a pagar por um produto final sem segurança e sem sabor. O conceito de Clean Label veio sim para ficar e é de extrema importância os avanços de P&D para fornecer alimentos cada vez mais próximos do “natural” sem perder segurança e sabor.

O que temos que levar em conta no desenvolvimento de um produto Clean Label?


Para o produto ser classificado como Clean Label, algumas diretrizes a serem seguidas são:

  • Produto 100% natural: os aditivos sintéticos devem ficar fora da formulação.

  • Lista de ingrediente curta e simples.

  • Minimamente processados: produtos que sofrerão poucas modificações.

Como o Clean Label interfere no setor de P&D?


O Clean Label é um grande desafio para o setor de P&D, já que alguns dos ingredientes que não podem ser utilizados, possuem funções importantes ao produto e, é muito difícil encontrar um substituto que faça o mesmo papel.

Além disso, é um desafio manter as mesmas características sensoriais, já que ninguém quer um produto Clean Label que não seja saboroso. Não é mesmo? E os desafios, não param por aí. Um outro ponto que é um grande desafio, é o prazo de validade do produto, com o uso de menos ingredientes, fica mais difícil manter este prazo.


Como a INOV3 pode te ajudar?


Quer desenvolver um produto Clean Label e não sabe como? A Inov3 prioriza esse conceito no desenvolvimento de seus produtos, além de possuir profissionais qualificados na área de Rotulagem e P&D que podem te ajudar no processo inteiro. As duas áreas conversam e se completam. Por isso, é de suma importância o alinhamento estratégico para fornecer um alimento de qualidade e dentro das tendências.


Escrito por: Letícia Scalet e Lorena Otaviani.


Fale conosco, clique aqui.




602 visualizações0 comentário